Finanças comportamentais – A psicologia do mercado monetário

Neste artigo aprofundado, exploramos as razões pelas quais os participantes no mercado fazem más escolhas – e como evitar fazer o mesmo.

Jan 30, 2019
|

Finanças Comportamentais Otp

Introdução

Então, o que é que influencia o nosso comportamento quando se trata de participar nos mercados monetários? A partir de preconceitos comportamentais comuns, como a falácia do jogador, o FOMO e a mentalidade de rebanho, mergulhamos profundamente nas várias influências por detrás da psicologia das finanças comportamentais, explorando a razão pela qual os participantes no mercado monetário fazem más escolhas – e como evitar fazer o mesmo.

Principais conclusões:

  • Na hipótese do mercado eficiente (EMH), que implica que a realização de análises de mercado na esperança de descobrir activos mal avaliados seria inútil, existem três formas: forma fraca, forma semi-forte e forma forte.
  • O momentum é uma anomalia chave do mercado que se refere a tendências de subida e de descida nos movimentos de preços; a negociação do momentum é uma estratégia que envolve a compra de vencedores recentes e a venda de perdedores recentes.
  • As três fases do ciclo de vida de uma tendência de preços são a sub-reação, a sobre-reação e o valor fundamental. Um exemplo ilustrativo é o boom e a queda do Bitcoin em 2017-2018.
  • Os enviesamentos comportamentais incluem o efeito de disposição, o pastoreio, o FOMO, a ancoragem e a falácia do jogador, para citar alguns.

A base de tudo: Hipótese do Mercado Eficiente (EMH)

Como propôs o Prémio Nobel Eugene Fama, um mercado é eficiente se os preços de mercado reflectirem toda a informação relevante sobre os activos subjacentes. Nesse caso, o preço de mercado é sempre idêntico ao valor fundamental. Se os comunicados de imprensa tiverem impacto nos fundamentos, os preços devem ajustar-se imediatamente para ter em conta a nova informação.

A hipótese do mercado eficiente (EMH) pode ser classificada em três formas:

1. Forma fraca: Os preços passados não contêm qualquer informação sobre os preços futuros.

A forma fraca implica que qualquer esforço de análise técnica para prever o movimento dos preços seria em vão.

2. Forma semi-forte: Os preços resumem com exatidão toda a informação conhecida publicamente.

Isto implica que é impossível obter lucros a partir do estudo de qualquer notícia do sector ou análise de mercado publicamente disponível sobre a moeda criptográfica, uma vez que os preços dos tokens reflectem toda a informação publicamente conhecida.

3. Forma forte: Os preços reflectem toda a informação privilegiada e toda a informação de conhecimento público.

A forma forte indica que mesmo a chamada informação “privilegiada” já está incorporada nos preços. Se os mercados financeiros forem tão perfeitamente eficientes como descrito pela HEM, isso implica que a realização de análises de mercado na esperança de descobrir activos mal avaliados seria inútil.

No entanto, a realidade é muito mais complexa do que esta hipótese.

As coisas estão sempre a mudar: A importância da dinâmica e do valor

Uma das principais anomalias do mercado que refuta a HEM é a dinâmica observada nos preços de mercado. Momentum refere-se a tendências de subida e de descida nos movimentos de preços: os preços em alta continuam a subir, enquanto os preços em baixa continuam a descer.

Esta proposição rejeita o EMH de forma fraca, uma vez que apoia a ideia de uma correlação entre os preços futuros e os preços actuais. A negociação dinâmica é uma estratégia baseada nesta anomalia e envolve a compra de vencedores recentes e a venda de perdedores recentes. Numerosos estudos confirmaram a persistência do momentum em diversos mercados e classes de activos. A investigação também mostra que os rendimentos actuais da Bitcoin podem prever os seus rendimentos nos dias e semanas seguintes.

Como podemos explicar a existência de uma dinâmica nos preços de mercado? Os economistas têm tentado explicar a dinâmica com a “sub-reação” e a “sobre-reação” dos mercados.

Normalmente, existem três fases no ciclo de vida de uma tendência de preços. Neste caso, partimos do princípio de que existem dois grupos de participantes no mercado: os observadores de notícias, que apenas reagem às notícias; e os operadores de momentum, cujas transacções se baseiam apenas em alterações de preços passadas.

Fase 1: Quando uma boa notícia se espalha gradualmente num grupo de observadores de notícias, estes começam a comprar a boa notícia. O ativo tem agora um valor fundamental mais elevado devido à evolução positiva. Os observadores de notícias são investidores de valor que tentam lucrar com a diferença entre o novo valor fundamental e o preço de negociação atual. Inicialmente, o preço mantém-se estável devido à falta de reação dos participantes no mercado, mas sobe lentamente para refletir as informações mais recentes. Esta sub-reação pode ser causada por preconceitos comportamentais dos seres humanos.

Fase 2: Os investidores apercebem-se da tendência de subida lenta e compram-na, aumentando a dinâmica. À medida que mais comerciantes se juntam à festa (por exemplo, talvez devido à mentalidade de rebanho), o preço ultrapassa o valor fundamental do ativo, levando a uma reação excessiva retardada.

Fase 3: Quando o mercado compreende plenamente as notícias, a tendência ascendente inverte-se e o preço converge finalmente para o valor fundamental.

Se a dinâmica for forte, pode formar-se uma bolha especulativa e os preços podem cair a seguir. O boom e a queda da Bitcoin em 2017-2018 é um exemplo ilustrativo. À medida que o potencial futuro da moeda criptográfica e da cadeia de blocos foi sendo melhor compreendido pelo público, o preço da Bitcoin subiu para refletir os fundamentos(fase 1). Depois, mais comerciantes compraram Bitcoin e aumentaram o impulso(fase 2). O preço do Bitcoin ultrapassou o seu valor fundamental e o mercado começou a conhecer melhor os riscos e as limitações do ativo. O medo, a incerteza e a dúvida (conhecidos como FUD) espalham-se no mercado. O seu preço acabou por cair(fase 3).

Preconceitos comportamentais: O Efeito de Disposição e a Teoria do Prospeto

Uma vez que o mercado não é perfeitamente eficiente, algumas estratégias de negociação podem ser lucrativas. Estas estratégias, no entanto, não são fáceis de executar. O paradoxo aqui é que a irracionalidade dos seres humanos cria, em parte, espaço para esses lucros, uma vez que geralmente acreditamos que podemos tomar decisões racionais, especialmente quando jogamos no mercado. No entanto, as descobertas no domínio das finanças comportamentais mostraram que somos provavelmente demasiado confiantes e susceptíveis a vários preconceitos.

Um fenómeno interessante é que os investidores tendem a vender os seus ganhos demasiado cedo e a manter as suas perdas durante demasiado tempo. Este fenómeno é designado por efeito de disposição, que explica por que razão os preços tendem inicialmente a não reagir corretamente antes do início da dinâmica dos preços.

A teoria dos prospectos fornece um quadro que ilustra a psicologia subjacente ao efeito de disposição. A essência da teoria da perspetiva é que os indivíduos são geralmente avessos ao risco quando confrontados com ganhos potenciais e amantes do risco quando confrontados com perdas potenciais – e mais sensíveis à dor de perder do que à felicidade de ganhar.

Por exemplo, suponhamos que havia uma escolha entre 1) 100% de hipóteses de ganhar $500, ou 2) 50% de hipóteses de ganhar $1.000 e 50% de hipóteses de ganhar $0. É provável que a maioria das pessoas escolha a primeira opção, mesmo que o valor esperado das duas opções seja exatamente o mesmo. Noutro exemplo, a escolha é agora entre 1) uma probabilidade de 100% de perder 500 dólares, ou 2) 50% de hipóteses de perder $1.000 e 50% de hipóteses de perder $0. Muitos escolheriam provavelmente a segunda opção.

Alguns investidores preferem “HODL” (comprar e manter) as criptomoedas, mantendo-se afastados das flutuações de preços a curto prazo e acreditando no crescimento a longo prazo das criptomoedas em termos de fundamentos. Podem ainda fazer HODL em caso de queda dos preços, uma vez que consideram que o sentimento irracional do mercado leva o preço para muito abaixo do seu valor fundamental. No entanto, tal como ilustrado pela teoria da prospeção, podem estar relutantes em realizar a perda.

Cuidado com a armadilha: mais preconceitos comportamentais

Para além do efeito de disposição, as pessoas têm muitos outros preconceitos comportamentais que podem afetar as suas decisões de mercado.

1. Comportamento de rebanho e medo de ficar de fora (FOMO)

Muitas pessoas embarcam quando o preço de um ativo está numa forte tendência de subida e a histeria empurra o preço cada vez mais para cima. Este “comportamento de rebanho” está relacionado com o “medo de ficar de fora”(FOMO), em que os investidores receiam perder as oportunidades lucrativas e, por isso, estão ansiosos por comprar de acordo com a tendência. No entanto, esta mentalidade não se encontra apenas nos comerciantes de retalho e amadores. Os actores institucionais, como os fundos de investimento, também demonstraram um comportamento de rebanho, pois receiam que o desempenho das suas carteiras possa ficar aquém dos rendimentos do mercado.

2. Viés de confirmação

As pessoas têm geralmente uma crença particular em primeiro lugar. Depois, tendem a procurar informações que apoiem a sua ideia, o que explica o facto de, por vezes, considerarem os movimentos de preços recentes como indicadores de movimentos de preços futuros. Os operadores compram então mais activos que ganharam dinheiro recentemente e vendem os que têm uma tendência de baixa no movimento dos preços. Este comportamento pode ser auto-realizável e um fator que contribui para aumentar a dinâmica dos preços.

3. Efeito de ancoragem

A ancoragem é um enviesamento da perceção com a teoria de que as pessoas se podem agarrar a informações históricas e ajustar insuficientemente os seus pontos de vista a novas informações. A ancoragem é uma explicação alternativa para a sub-reação inicial na anomalia de momento.

4. Falácia do jogador e falácia da mão quente

Falácia do jogador e falácia da mão quente

A falácia do apostador refere-se à crença de que a persistência de um sinal em sorteios anteriores aumenta a probabilidade de ter outro sinal no sorteio seguinte. Um exemplo simples é lançar uma moeda ao ar e obter dez coroas seguidas, pensando que na próxima jogada sairá cara. Ou, se o preço da Bitcoin tiver continuado a subir durante dez dias consecutivos, pode esperar-se que o preço recue no dia seguinte.

Em contraste, a falácia da mão quente é a crença de que uma sequência exibirá persistência excessiva em vez de reversões. Por exemplo, suponhamos que um comentador de criptografia faz uma série de previsões correctas sobre os movimentos do mercado durante semanas. Nesse caso, as pessoas podem pensar que se trata de um comentador acima da média que continuará a fazer previsões correctas.

Os dois fenómenos acima referidos parecem contraditórios, mas estão relacionados com o mesmo equívoco estatístico: As pessoas tendem a assumir que o que observam numa pequena amostra deve ser idêntico a toda a população da qual a amostra é retirada.

A realidade é que as pessoas subestimam a probabilidade de sequências numa amostra pequena. No caso do comentador, inferem a partir da pequena amostra e concluem que a série de vitórias é uma forte prova da capacidade do comentador para superar o mercado a longo prazo.

Conclusão

Compreender as tendências comportamentais é fundamental para tomar decisões inteligentes no mercado, especialmente no mundo das criptomoedas, onde a emoção e o entusiasmo podem desempenhar um papel importante nas decisões de muitas pessoas. Estes conceitos podem servir de lembrete para nos mantermos atentos ao sentimento do mercado e às nossas próprias tendências quando tomamos decisões.

Diligência devida e fazer a sua própria investigação

Todos os exemplos apresentados neste artigo têm um carácter meramente informativo. O utilizador não deve interpretar essas informações ou outros materiais como aconselhamento jurídico, fiscal, de investimento, financeiro ou outro. Nada contido neste documento constituirá uma solicitação, recomendação, endosso ou oferta da Crypto.com para investir, comprar ou vender quaisquer activos digitais. Os rendimentos da compra e venda de activos digitais podem estar sujeitos a impostos, incluindo o imposto sobre as mais-valias e/ou o imposto sobre o rendimento, na sua jurisdição ou nas jurisdições em que é residente para efeitos fiscais. Quaisquer descrições dos produtos ou características da Crypto.com são meramente para fins ilustrativos e não constituem um endosso, convite ou solicitação.

O desempenho passado não é uma garantia ou um indicador do desempenho futuro. O valor dos activos digitais pode aumentar ou diminuir e pode perder a totalidade ou um montante substancial do seu preço de compra. Ao avaliar um ativo digital, é essencial que faça a sua própria investigação e diligência para fazer o melhor julgamento possível, uma vez que qualquer compra será da sua exclusiva responsabilidade.

Tags

crypto

crypto research

cryptocurrencies

markets

trading

Compartilhar com amigos

Pronto para começar a sua jornada pelas criptos?

Receba o guia passo a passo para abrir uma conta na Crypto.com

Ao clicar no botão Começar, você reconhece ter lido o Aviso de Privacidade da Crypto.com, no qual explicamos como usamos e protegemos os seus dados pessoais.
Mobile phone screen displaying total balance with Crypto.com App

Common Keywords: 

Ethereum / Dogecoin / Dapp / Tokens